Após 8 anos de namoro, decidimos nos casar.

Vamos fazer uma viagem? Uma viagem nossa no tempo?

Vamos lá...

 

 

E de pensar que foram todos esses anos ao seu lado. Me lembro muito bem de como tudo começou. De tudo o que passamos nesses anos. Você com aquela alegria contagiante, me encantava com cada surpresa romântica. Desde a carta de bombom que me mandou nas primeiras semanas que nos conhecemos, na qual eu pensava: "Ela já está apaixonadinha, e agora?" Eu abria o sorriso de canto de boca sozinho enquanto estudava pros concursos e me enchia de alegria por dentro. Até aquela surpresa do PlayStation 4, na qual as pessoas me diziam. "Nossa, a Roberta mandou bem hein?!" Me lembro da garota que era insegura e ciumenta e hoje se tornou numa garota forte, autoconfiante e segura de si. A cada ano que passava você crescia, e se tornava cada vez mais linda, cada vez mais deslumbrante.

Lembro da primeira vez que disse que te amava, e das lágrimas escorrendo dos seus olhos. Com você passei por algumas conquistas. OAB, concurso do Tribunal, pra capital e depois pro interior. Cresci como homem e como ser humano. Com você passei por tantas agonias, com minhas crises de saúde e cuidou de mim. Era quem eu me sentia seguro, era quem eu podia confiar, era a única que acalmava meu coração, quem eu apenas queria estar perto. Sua família me acolheu como um filho. Seu pai como se fosse realmente um pai pra mim. Sua mãe com todo seu amor me protegeu. Eu fui embora pra São Paulo, precisava vencer na vida pra poder te dar segurança financeira. O coração apertou para os dois, mas logo sabia que estaria lá também. Fomos descobrindo São Paulo juntos, dormíamos numa cama de solteiro num quarto minúsculo. Voce dormia no chão e me dava o lugar. Não via a hora de você vir morar em São Paulo também.

Enchia a boca pra falar da minha namorada pras pessoas em São Paulo. Você chegava linda ao me visitar. Me lembro quando usava salto pra andar na Avenida Paulista. Você desfilava, mas criava um calo no pé, e brigava comigo por fazê-la usar aquele salto. Você me dizia que queria trabalhar no melhor hospital de São Paulo. Queria fazer pós graduação no Albert Einstein. Eu achava que deveria colocar os pés no chão. Você conseguiu! Você queria fazer aprimoramento no Einstein, eu achava que não seria fácil uma vaga, e a única vaga foi sua. Disparada a melhor das candidatas. Um dia passamos em frente ao Hospital das Clínicas e falamos: "Que lugar enorme, duvido que não tenha uma vaga para você aqui?!. Você terminou a Pós-Graduação e adivinhe só? A vaga no ICESP era sua. Cada conquista me surpreendia o quanto você é incrível. Por onde passava, exalava seu carisma e conquistava as pessoas que estavam a sua volta. 

Na república onde morávamos conhecemos polonês, americano, espanhol, italiano, gente do mundo todo. Você tentava falar com o americano e aumentava a voz. Eu dizia: "Ele apenas não entende nossa língua, não é surdo". Nós conhecemos o Raul, e você brigava todos os dias com ele, mas ele te adorava, principalmente depois que foi você quem fez sua galinhada de aniversário. Aos poucos você mudava de visual e de estilo, se juntava à cidade. Ficava cada vez mais criativa para combinar as roupas. Íamos quase todo sábado de manhã ao centro de São Paulo, não antes de me preparar um suco de açaí com leite em pó como cobertura.

Minha passagem de volta para Prudente estava com os dias contados e era você agora quem iria passar a morar sozinha em São Paulo. Eu estava alegre, pois queria muito construir nossa vida em Prudente. Era nossa cidade, nossa Família, nossos amigos. Mas você estava com o coração apertado pois eu estava voltando pra casa. E agora eu quem passaria a esperar a sua volta. Quem me visitava em Prudente era você. Passávamos o domingo todo na casa dos seus pais. Era uma delícia. Aquele almoço farto, com sobremesa e a tarde ainda buscávamos sorvete de mousse de limão e leite ninho trufado. Mas a hora que chegava a noite perto de partir, começavam as lágrimas. E na hora que aquele ônibus partia então, as suas lágrimas aumentavam e a dor me corroía por dentro. Eu tentava não transparecer a tristeza, mas ela me consumia por dentro. Brigava com você para parar de chorar, para ser forte, que logo seu emprego estaria garantido em Prudente e você estaria de volta. Era nosso sonho mais desejado.

Hoje vejo minhas fotos de todos esses últimos anos e elas simplesmente se resumem a uma pessoa: Você! É como se você fizesse parte de mim. Tivemos uma verdadeira história. Algo mágico jamais vivido com outra pessoa.  Passamos por sofrimentos e alegrias, erros e aprendizados. E eu só tenho a te agradecer, por ser essa garota incrível que me enche de orgulho, que transborda alegria, que exala carisma e beleza por onde passa, que cuidou de mim nos momentos mais difíceis. E quero dizer do fundo do meu coração que te amo e quero ser seu marido.